Saab (1947-1975)

BREVE INTRODUÇÃO


Foi necessária coragem e desde o inicio que foi um desafio! Ao entrar no sector automóvel, a Saab, teria de establecer-se no "Campo" Sueco, onde já existia a Volvo.
De inicio, apostaram num modelo pequeno de boa condução em terrenos difíceis mas fácil de manobrar na neve.
O modelo foi evoluindo
favoravelmente!Mais tarde a Saab foi alterando a sua politica, evoluindo os seus automóveis e tornando-os de Gama Alta, sempre com atenção à segurança e
acabamentos. O seu estilo destingue-se das massas, os seus veículos representam uma certa exclusividade e distinção.`
É certo que o veículo
apresentado em 1947, nada se assemelha aos dos nossos dias!
Era um veículo pequeno, com motor de 2 Cilindros a 2 tempos, de linhas futuristas, já
com uma estabilidade magnífica.
Os êxitos que, os primeiros Saab, conseguiram em várias provas desportivas fez com que atingisse nos Estados Unidos
uma Fama que iria estender-se ao mundo inteiro.

O PRIMEIRO
Modelo 92 de 1947
Modelo 92 de 1947
O 1.º automóvel foi
desenvolvido pelo especialista de aeronáutica Gunnar Ljungtröm, os parâmetros técnicos seriam semelhantes aos DKW alemães(bastante vendáveis, na
Suécia): motor a 2 tempos, com tracção dianteira facilitando a aderência em piso escorregadio e um bom arranque em temperaturas baixas. As linhas do
Saab pertenceram a Sixten Sason - antigo piloto de aviões que após ter sofrido um acidente se dedicava à engenharia.
Modelo 92 de 1949
Modelo 92 de 1949

Foram muitas as dificuldades sentidas, pela Saab, ao decidir avançar com a produção. O governo Sueco não facilitou a aquisição da
maquinaria necessária. O controlo estatal das divisas fiscalizava as compras, no estrangeiro, minuciosamente e era exigido à Saab que, os automóveis,
utilizassem 83% de peças de fabrico nacional; além de que teriam de exportar 1 de cada 4 unidades produzidas; O que provocou um enorme atraso no início
da produção.
Modelo Sonett de 1956
Modelo Sonett de 1956
Em dezembro de 1949 a empresa apresenta o 1.º veículo Saab. O acabamento era cuidado, a
carroçaria robusta - com 805kg - limitando a aceleração, mas de grande estabilidade e direcção muito directa.
O motor ficava diante do eixo anterior,
bem fixo evitando, assim, vibrações. Contava com 2 cilindros em paralelo, formando uma unidade com a caixa de velocidades de três relações, accionadas
através da alavanca ao lado do volante. O sistema permitia o uso do pinhão livre, reagindo quando se levantava o pé do acelerador. O motor reduzia a
rotação até ao mínimo, como se tivesse desembraiado, e, quando se voltava a acelerar oferecia toda a sua potência.
Modelo 95 de 1960
Modelo 95 de 1960
Só após 5 anos é que a Saab atingiu as 10 000 unidades produzidas, quantidade que transmitia alguma segurança ao
fabricante.

SINAIS DE PROGRESSO


Em 1952 o modelo evolui para o denominado 92 B, com um pára-brisas de maiores
dimensões e um melhor equipamento interior; em 1954 receberia alguns melhoramentos a nível do carburador. O modelo 93 já apresentava o motor de 3
cilindros e instalação eléctrica de 12 Volts; em 1957 receberia o pára-brisas de 1 só peça. A versão de origem oferecia 33 Cv, que depressa passaram
para 38 Cv e depois para 45 Cv. A distância entre os eixos e as vias aumentou ligeiramente e a suspensão foi melhorada.
Modelo de 1962 conduzido por ErikCarlsson
Modelo de 1962 conduzido por ErikCarlsson


Em competição destacavam-se pela maneabilidade e estabilidade, não pela potência. Erik Carlsson, piloto carismático da marca sueca,
dizia: «Os carros potentes adiantavam-se sempre nas subidas e rectas longas, mas nós ganhávamos terreno nas descidas e nas curvas».
Modelo 96 de 1963
Modelo 96 de 1963

A partir de 1958, a saab equipou o seu modelo com um Kit desportivo: a versão 750 GT chegava aos 45 Cv, e aos 55 Cv se
ampliado por um outro Kit de 2 carburadores, alcançando 160Km/h. O modelo 96, a partir de 1960 apresentava janelas maiores,e na versão Montecarlo
um motor de 55 Cv, caixa de 4 velocidades e travões de disco dianteiros.
Modelo Sonett II V4 de 1967
Modelo Sonett II V4 de 1967


Em meados dos anos 60 foram
experimentados motores de várias marcas, com a finalidade de acabar com o motor a 2 Tempos. O motor Ford de 4 cilindros em V, de 1498 cc e 65 Cv de
potêcia (montado no Taunnus 12 M TS alemão) foi o eleito. O seu bloco compacto anulava os problemas de espaço debaixo do capôt do Saab. Este motor
incrementava a potência, disponibilizando, ainda, um binário que melhorava substancialmente as prestações. A marca oferecia uma embraiagem automática
Saxomat. Melhoravam os travões de disco em série, a partir de 1967, e uns pára-brisas maiores em 1968. O volante tinha um centro acolchoado para
aumentar a segurança dos ocupantes, fechos das portas reforçados, engates mais sólidos nos bancos e cintos de segurança de fixação dupla - cumprindo com
as normas de sugurança dos EUA. A partir de 1970, os limpa faróis dianteiros faziam parte do equipamento básico dos Saab.
Modelo 99 de 1970
Modelo 99 de 1970


Em 1967, no final, a saab lançou um projecto totalmente novo, o modelo 99, que inaugurava uma categoria superior à do 96.
Em 1972
aprareceu o modelo 99 SEM, desportivo, equipado por um motor desenvolvido pela Saab. No ano seguinte, apenas o 99 X7- variante económica do modelo-
tinha o motor Triumph, enquanto que o 99 2.0, o 99 E e o 99 L, o 99 Combi e o EMS dispunham de mecânica de 4 cilindros e de 2 Litros alimentados por
injecção; em todos se podia montar a transmissão automática.
Modelo Sonett III de 1974
Modelo Sonett III de 1974

Mas o ágil Saab 96 não foi esquecido!

Em 1970, José Carpinteiro Albino venceu a bordo do seu Saab 96 V4 o
campeonato de rallies de portugal.
Os suecos Per Eklund e Stig Blomquist ajudaram a escrever o seu historial de vitórias em rallies.

Foram
várias as provas em que participou. Sempre se destacou devido à sua agilidade.
Em 1956 no Great American Mountain Rally, deu que falar!
Vencer
corridas nesses anos era sinal de um posterior sucesso de vendas. E assim foi!!!
A saab começo a apoiar as corridas de forma oficial e ampliou o
departamento desportivo de 2 para 5 funcionários.
Eric Carlsson foi o piloto que mais notariedade teve. Carlsson venceu três vezes seguidas o Rally
da Grã-Bretanha (RAC). Em 1962 venceu o Rally Monte Carlo, e o mais surpreendente é que, os saab, não receberam apoio de mecânicos e dispensaram as
camionetas de transporte até à linha de partida, ou seja, vieram por estrada da Suécia!!!!
Eric Carlsson
Eric Carlsson
© 2004-2020 InterClássico. Todos os direitos reservados. Cookies